quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Pedido de Desculpas que ainda não veio do Senador Paulo Rocha!

O PEDIDO DE DESCULPAS QUE AINDA NÃO VEIO DO SENADOR PAULO ROCHA, ANTECIPAMOS E ESCREVEMOS PARA ELE, COMO SUGESTÃO, MAS ACIMA DE TUDO PARA DIZER QUE OS INIMIGOS NÃO ESTÃO DESSE LADO DE CÁ, E QUE ELE AINDA PODE SER BEM VINDO A LUTA POLÍTICA DOS EXPLORADOS E PELO FORA TEMER, E CONTRA TODOS OS GOLPISTA, E QUE JOGAR OVO HOJE É A ÚNICA FORMA DE LULA NÃO IR PARA CADEIA!




Nota de Desculpas as mulheres e aos Movimentos Sociais!


Fui eleito em 1990 a Deputado Federal, depois de anos de luta social, a frente do PT e da CUT, e de diversas lutas sociais, minha origem é ligada aos trabalhadores gráficos do nosso estado, depois disso participei ativamente de toda a trajetória do PT no Pará e no Brasil, sou um parlamentar comprometido com as lutas sociais do meu povo e do meu tempo.

Nesse período reunir com diversos setores e movimentos sociais, ajudei e contribui com a organização das mulheres, LGBT’s, juventude, Trabalhadores do Campo e da Cidade, sempre fui um Senador de todos e todas.

O último dia 12 de agosto, em uma audiência pública sobre desenvolvimento socioeconômico na Câmara Municipal de Marabá, estive presente com demais autoridades, e fomos surpreendidos com uma manifestação que interrompeu a audiência pública jogando ovos na tribuna e nos parlamentares.

Vivemos no país uma crise política e institucional e lamentamos profundamente que a condução da forma de se fazer política tenha começado a descambar para a intolerância e para a violência. Mas desde o golpe contra a Presidenta democraticamente eleita Dilma, a vida de todos os brasileiros começou a piorar vertiginosamente. 

Não é a toa que o atual déficit fiscal é o maior da história. Temos os mais altos níveis de desemprego, as maiores taxas de juros, a crise política só vem aumentar mais ainda a nossa triste realidade.

Quero deixar claro que não sou contra qualquer tipo de manifestação, mas considerei exagerada a postura dos manifestantes, mas entendo que eles têm todo o direito de se manifestar, mesmo atirando ovos, é legitima a manifestação.

No primeiro momento fui contra e cheguei mesmo a me exaltar, fui ríspido e até mesmo bruto e meu tom de voz foi grosseiro e meus argumentos não estavam ligados a realidade que relatei acima, e por isso, peço desculpas, não foi minha intensão ser machista com nenhuma companheira ou companheiro, repito, peço desculpas públicas a todos e todas pela equivocada posição política, meu dever com Senador do PT é denunciar o golpe e os golpistas, e que eles sejam julgados pela justiça, pela sociedade e pela história.

Lutaremos na mesma forma para barra a reforma previdenciária e trabalhista!

Estarei ao lado de todas as manifestações que intimidem os golpistas, que coloquem eles no constrangimento de terem afastado uma presidenta eleita, e darem suporte ao Governo Temer. Assim coloco meu mandato a serviços dos explorados e de todos que estão na luta para reconduzir Lula a Presidência da República e assim o Brasil posso voltar a democracia.

Fora Temer!
Eleições Gerais Já!



sábado, 1 de julho de 2017

Quem tem medo da Greve Geral?





Temer e seus aliados não temem, inclusive eles fizeram uma arriscada mexida no tabuleiro, chamando de volta a cena o combalido e abandonado Aécio, e foram além, o homem da mala do dinheiro, que ainda não está em liberdade por ausência de tornozeleira eletrônica, enfim, depois do dia de ontem, com atos menores do que a greve passada, com um caminhar que aponta para o fim da lava jato, sem a prisão de Lula e de Aécio, a Frente Brasil Popular anseia o fim do ano, para que não seja forçada a construir mais ato mentirosos pela Diretas já, quando no seu íntimo quer mesmo que o calendário eleitoral se faça o mais rápido possível.

Essa relação de medo da Greve Geral, medo de perder o controle de um povo que a cada dia se expressa com mais vontade, pois a Greve é um instrumento educativo e que ficou paralisada enquanto a frente popular se amancebava com os políticos tradicionais, em sua espúria relação quase sexual, com o poder, não percebia que a Greve ainda é um poderoso instrumento de luta e que pode se virar a qualquer hora contra seus próprios lideres!

Seja como for, o Governo Temer saiu fortalecido nesse embate e no cabo de guerra ainda se mantém com fôlego para aprofundar as reformas trabalhista e previdenciária, o que já havíamos dito aqui anteriormente, pois o acordo entra a canalha burguesa parlamentar, a golpista, a que leva no colo as reformas e a frente popular já foram estabelecidas, se por um lado, eles não conseguiram levar a frente a prisão de Lula e a cassação do registro do PT, por outro eles levaram essas reformas até o fim.

Enquanto isso a maioria da população perderá sua aposentadoria, suas garantias trabalhista, mas não pensem que ficara só nisso, ontem no dia da Greve Temer anuncia o corte do aumento do Bolsa família, e assim as poucas conquistas de 13 anos de governo do PT são colocadas a prova, em um ano os golpistas anularam completamente o pouco avanço que o governo de frente popular cedeu aos trabalhadores.

Enquanto isso, o PT em seu último congresso, não discutiu ou avaliou o processo de eleições internas, cheio de vícios e com sintomas de fraudes em todo o país, do mesmo modo aprovou em resolução retirar a palavra Socialismo, afirmando que a prática socialista vale mais do que a palavra redigita nas resoluções do 6º Congresso, mas qual é a prática mesmo, de querer apoiar Helder Barbalho no Pará? De votar em Eunicio Oliveira para Presidente do Senado? Enfim essa é a prática dos dirigentes do PT!

Ao fazer esse pacto medíocre o PT, a Frente Brasil Popular e o Povo Sem Medo, dizem claramente que as eleições gerais é apenas uma palavra de ordem vazia e sem conteúdo, deseducando as massas, para seus interesses regionais e localizados, não há mais de fato, o interesse de ir além da institucionalidade, se Temer cai ou não cai, isso é meto detalhes, nenhum dos componentes da Frente Popular estão na ordem de sucesso, só cabe esperar 2018 para então sonhar em ganhar a eleição com Lula.

Mas as recentes pesquisas mostram que Lula não é imbatível, e que a máxima do Direito das elites se farão presentes, ”aos amigos tudo, e aos inimigos a força da lei”, e com recursos em baixa, já que mesmo liderando as pesquisa, não poderá contar com recursos de empresas em 2018, o PT tende a construir caixa 2, e nós já sabemos que ele não é tão bom assim afinal todos os esquema montados pelo PT forma revelados tão facilmente.

Por seu turno os partidos burgueses e suas legendas de alugueis estarão com a faca e o queijo na mão, eles não precisam de escrúpulos, e nem precisam se preocupar com as leis, afinal a ditadura de toga só tem uma última tarefa impedir a eleição de Lula.

Seja como for, deixar para 2018 o debate e embate política só fortalece a direita, hoje temos condições objetivas de por abaixo o governo Temer, mas isso é algo que ninguém quer! Uma pena a direção majoritária do PT, da Frente Popular e dos partidos de esquerda tradicional como o PCdoB, PSol, PSTU e PCO ficam todos os dias mudos sem denunciar o estado natural da evolução do Golpe, perdidos em suas esquizofrenias particulares e com medo de um processo de avanço do bonapartismo, prefere a omissão silenciosa de uma análise real da conjuntura, onde o governo golpista de Temer avança para atacar os interesses dos explorados em toda América Latina, como a permissão para as Tropas Americanas usarem o território amazônico para práticas de guerra, uma clara provocação ao Governo Bolivariano de Maduro. 

Quem tem medo da Greve é quem a convocou, pois ontem os golpistas disseram em alto e bom som que não tem medo de nada!

quinta-feira, 25 de maio de 2017

O Início da Ditadura dos Fascistas no Brasil!

Não serei eu a gritar por eleições diretas, não farei isso hoje e desde já afirmo que as eleições diretas não serão soluções para as crises política e econômica que o país atravessa, pois a relação de crise não é com o modelo de institucionalidade existente, pois esse sistema está a serviço dos donos do Brasil!


O começo do FIM


As eleições Gerais ouvida nos gritos e faixa dos manifestantes e da maioria dos grupos políticos são na verdade um grande engodo, por que não é uma medida prevista na Constituição, calma companheiros e companheiras, não virei legalista e nem institucional demais, mas apenas constato que os partidos de esquerda, não têm mais o menor cacoete de luta política, e limita-se a seguir as ordens impostas nas leis e na ordem pública.

Contudo a luta política próxima, sim essa que teve mais um capítulo nesse dia 24 de maio que passou, representa dois momentos bem difusos e complexos, mas que precisa ser analisado com maior transparência, por que os partidos de esquerda têm mentindo a seus militantes, entre eles o PSOL, o PSTU e o PCO.

Seja como for, ontem com a assinatura do Decreto Presidencial 821/2017 coloca de forma clara a intensão dos golpistas em aprofundar o golpe, de ir até as últimas consequências, e o vai e vem de diferentes setores, seja eles da esquerda, da Frente Popular ou da Extrema Direita só reforça a ideia que ainda não temos um campo hegemônico que possa dar linha e direção para saída dessa crise.

Vou repetir esse último paragrafo para esclarecer de uma vez por todas, nem a esquerda ou mesmo a Frente Popular consegue ter maioria, seja no Congresso ou na opinião pública para conquistar uma posição política de maioria e assim dar rumo para sair dessa crise. Por outro lado, a direita também não tem essa unidade, e esse contexto indica que haverá uma saída negociada para crise!

Mas essa saída dependerá do afastamento de Temer, mas nosso golpista ainda tem armas na manga, um deles foi o decreto, pois utilizou de uma manobra e da falta de organização dos setores da esquerda e da frente popular para poder construir mecanismo de proteção que vão além dos seus limites constitucionais, e tenho a compreensão que eles vão se utilizar quando e onde quiserem, mas o problema é o sinal que isso passa para a extrema direita, ele se coloca, não mais como um constitucionalista, mas agora ele é a opção dos fascistas e deixa claro que ele não medirá consequências para se manter no poder.

E com a ausência de uma direção verdadeira que indica o caminho da luta para as massas, que são utilizadas apenas como massa de manobra da esquerda e da frente popular, não posso prever outra saída que não seja trágica para essa realidade!

Como o jogo ainda não está decidido nem para um lado e nem para o outro a crise deve entrar em uma fase mais aguda, se por um lado Temer agora tem seus pecados revelados e investigados, por outro Lula e o PT tem maiores chances de serem presos e colocados na clandestinidade, o que começaria uma caça a toda esquerda e a frente popular.

Obviamente que os cenários que se avizinham não são os mais otimistas, e já prevendo essa realidade os setores da Frente Popular, capitaneados pelo PT devem organizar um acordo que possa, ao mesmo tempo, barrar as investigações da lava jatos e com isso suprimir os ataques ao PT e ao Lula, depois construir uma nova maioria no Congresso para que em uma eleição indireta se elege um governo de coalizão que possa cumprir o mandato de Dilma/Temer ate as eleições para o ano que vem, mantendo assim a ordem constitucional.

Lembrando que esse segundo cenário dependerá do afastamento de Temer, que hoje contra si tem inúmeros processos, e alguns em estado bem avançado de cassação como é o caso do TJE, mas percebo que a aceitação de abertura de processo de impedimento de Temer é ainda o caminho mais curto e rápido para que seja dada a pá de cal nesse governo golpista.

Deve-se ainda lembrar que em todos os cenários até aqui comentados, as reformas continuarão, e seja como for, a derrota que os trabalhadores tiveram até aqui significaram sim enormes prejuízos para suas condições de vida e de classe.



Resta-nos apostar nossas fichas em novas mobilizações que pensem em ultrapassar o pensamento burguês de eleições e que possamos construir a partir das mobilizações organizações de base, com democracia operária como mecanismo de poder dual, onde as decisões possam ser compartilhadas e assumidas por todos, como forma de superação das diferenças ideológicas, mas acima de tudo que seja um laboratório de uma nova direção e de uma nova organização política e de um novo estado, vamos a luta!

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Aparelho repressivo serve a Cabeça de Temer para acordo em Eleições Indiretas!

Aparelho repressivo serve a Cabeça de Temer para acordo em Eleições Indiretas!

Fonte: Mídia Ninja
Dia 24 de maio de 2017, será conhecido como o dia do pé na bunda do Temer, não vejo mais como possível a manutenção de senhor no comando do país, hoje forma mais de 150 mil nas ruas de Brasília, vi uma Capital Federal sede sitiada de dois lados, de um lado os movimentos sociais (des)organizado e do outro o aparelho repressivo do DF bem organizado, desde as primeiras horas da manhã, os ônibus foram criteriosamente revistados e depois liberados, esse foi a recepção da PM.

Contudo, cabe mais uma análise política dos bastidores do que não vimos do que necessariamente do vimos, a grande manifestação foi duramente reprimida, a fumaça de gás lacrimogênio ultrapassa em muito o prédio do Itamarati, onde funciona o Ministério das relações exteriores, bombas e helicópteros completavam o cenário de filme de guerra.

O que meu preocupou foi o encerramento do ato em pleno processo de luta por espaço na Esplanada, vi milhares de pessoas se retirando do campo de batalha, mas vi outras centenas caminhando para socorro, protesta e gritar alto Fora Temer, vi uma passeata sem comando política, e que diversos carros de som, seguia sua própria orientação política, desde o PCO, passando pelo CTB até chegar na Conlutas e na CUT, uma Babilônia em Chamas.

O que mais me preocupa não é a falta de união entre as diferentes forças políticas ali, mas sim o resultado, pois a forma com o diferentes comandos simplesmente deixaram seus postos para “recuar” frente a ofensiva da PM do DF foi simplesmente como nado sincronizado! Foi perfeito!

O que isso significa, ainda não sei, mas acredito que logo mais todos vamos saber, foi apenas um ensaio do que poderia ter sido se tivéssemos um comando um único e uma única palavras de ordem, mas não temos!

Tenho convicção que vão entregar a cabeça do Temer em uma bandeja de prata para os manifestantes e para os movimentos sociais, mas morre aqui todas as demais reivindicações, o que percebo é que já está rolando um grande acordo para que as eleições indiretas possam ser a solução negociada da crise política, e um governo tampão de coalizão deve ser a saída deles, mas isso implica na continuidade das reformas que estão na pauta do Congresso, a pergunta que temos que fazer é “E agora?”.