quarta-feira, 19 de abril de 2017

Denúncias de Fraudes e Suspensão das Eleições do PED-PT/Belém

Apuração Imediata das Denúncias de Fraudes e Suspensão das Eleições do PED-PT/Belém. 

O Fórum da Militância do PT no Pará vem a público cobrar as necessárias apurações das denúncias que foram encaminhadas ao diretório estadual, sobre as irregularidades e fraudes ocorridas durante o PED 2017, etapa inicial do 6º Congresso Nacional, realizada no dia 09 de abril, data em que deveria ser de um novo recomeço e de demostração de um comportamento político exemplar, da parte de todos que estão filiados e filiadas ao PT, servindo assim de exemplo para a sociedade brasileira, sobretudo para nossas bases e movimentos sociais, que confiam em nossas propostas para mudar para melhor o Brasil. 

Consideramos graves e inaceitáveis, para ficarem impunes, as denúncias que foram fundamentadas em uma representação encaminhada ao Diretório Estadual do PT, na qual ficamos sabendo de que: 

1 – As mesas apuradoras negaram-se a apurar centenas de votos, depositados em 14 das 41 urnas 34 por cento do processo eleitoral, devido a constatação de graves irregularidades, devolvendo as referidas urnas para a Comissão Organizadora do PED em Belém. E logo depois a comissão, por iniciativa própria totalizou essas urnas, sem o menor critério ou justificativa, infringindo o regulamento do 6º Congresso do Partido;

2 – A existência de contratação de pessoas estranhas ao Partido, que aturaram na panfletagem e campanha eleitoral de “boca de urna”, o que fere a democracia interna, consolidando uma prática monetarista de ação política, tão usual entre os partidos que o PT tanto critica e combate; 

3 – Distribuição de tickets de gasolina - com o nome de uma candidata que concorreu ao pleito - distribuídos pela executiva do PT Belém, restando saber se a referida candidata financiou a realização do PED ou o PT financiou a candidata, o que em si já é uma falta grave de conduta, conforme as diretrizes do Estatuto do Partido e do Regimento Eleitoral deste Congresso; 

4 – A falta de observação aos critérios regimentais na apuração de 14 urnas que chegaram às mesas apuradoras, sem as mínimas condições de legalidade, entre as quais, pelo menos duas tiveram mais votos que assinantes permitidos em margem de erro, ou seja, motivos de serem impugnadas e não foram; 

5 – A existência de denúncias de que ocorreram a compra de votos, o aliciamento de eleitores, inclusive com constrangimento e o uso indiscriminado de veículos no transporte de eleitores, quebrando a igualdade de condições entre as chapas e candidatos que fizeram parte da disputa. 

Por isso, o Fórum da Militância exige: 

A apuração imediata de todas as denúncias, por uma comissão petista de inquérito, formada de forma equânime entre membros indicados pelas chapas que disputaram esse PED 2017; 

Que o resultado do PED seja colocado sub judice, até o término das investigações pela comissão petista de inquérito; 

Que caso as denúncias de irregularidade sejam comprovadas, o PED 2017 seja anulado em Belém;

Que a Executiva Municipal seja dissolvida e seja montada uma comissão provisória, que fique responsável de convocar no prazo de 15 dias, uma nova eleição municipal, e que os responsáveis pelas irregularidades comprovadas, tenham seus nomes suspensos deste novo PED, evitando assim sua participação nesta nova eleição e seus atos sejam encaminhados para a Comissão de Ética Partidária.

Concluímos de que não podemos mais permitir que o Estatuto do Partido, bem como o Regimento Eleitoral do 6º Congresso Nacional do PT, sejam ignorados pela direção municipal e estadual do partido, bem como pelo conjunto de filiados que participam das disputas internas em nosso partido. 

Diante de tantas atrocidades cometidas contra o PT e nossas gestões, os processos eleitorais de nossa democracia interna deveriam ser exemplos de transparência, ética e igualdade de condições, ao invés do que vimos acontecendo novamente neste Congresso, não só aqui em nossa capital do estado, como diversos outros municípios brasileiros. 

Alertamos que não descasaremos enquanto não houver uma justa apuração e conclusão destas denúncias e seus envolvidos punidos de acordo com o que nossos documentos internos determinam. 

A unidade partidária só poderá existir se o estatuto, as resoluções e os regimentos partidários forem respeitados! 

terça-feira, 4 de abril de 2017

Quem mexeu no meu Queijo, ops, no meu PT!



Todas as mudanças em geral trazer em si uma enorme resistência a ela, não cabe aqui discutir, o livro que Mexeu no meu queijo é um exemplo de como os hábitos, os costumes e o eterno fazer, trazem consequências ao longo do tempo, a partir do exemplo dos dois homens Hem e Haw e dois ratos Sniff e Scurry, moram em um labirinto, e comem queijo, o queijo aqui é a representação do ideal de cada um, e em determinado momento é a procura existencial de todos, em certo dia eles acostumados a comer em uma montanha de queijo, que para eles não teria fim, mas um belo dia, a montanha tinha simplesmente desaparecido, e vem então a grande pergunta, quem mexeu no meu queijo? 

O PT aqui no Pará está nesse momento, já elegemos mais de 25 prefeitos, e algumas eleições mais de 09 deputados estaduais, 03 deputados federais e já temos a uma vaga no Senado já em alguns momentos, e já tivemos um mandato no Governo do Estado. Mas hoje, com um diminuto tamanho no Estado, na quantidade de prefeituras, de vereadores, de deputados e ainda sim, se pergunta que mexeu no meu queijo?

O PT no Pará tem a possibilidade de se reconstruir e para isso deve PEDIR DESCULPAS, sim pedir desculpas a povo paraense por ter caído no conto da sereia (acredito que o Senador Jader esteja mais para tubarão), e que o surto progressivo do PMDB em apoiar o PT, na verdade foi um recuo dos nossos sonhos e desejos de uma sociedade mais justa, humana e igualitária, e o campo majoritário do PT tem essa culpa sim! 

Devemos romper com esses setores autocráticos e coronelista no Pará, buscar aliança com a esquerda paraense e com os movimentos sociais organizados, só com esse dois elementos o PT no Pará pode pensar em ter unidade, e assim preparar um palanque sem golpista para Lula 2018!

De repente o PT se acostumou e se viciou em uma relação nada sadia com o aparato do estado, seja no parlamento ou no executivo, e com isso traçou toda sua estratégia para que as eleições tornassem seu único caminho, uma única via, uma única estratégia, mas isso já deu, estamos cansados de repetir isso, ao abandonar a luta estratégica nos movimentos sociais, como elementos de conquista de políticas públicas, ele abandonou na miséria seu próprio povo, pois no Pará, um estado atrasado e ainda cartorial, onde os coronéis ainda manda prender e soltar, e ainda matam a seu bel prazer, fazer alianças com essa corja foi e é o maior motivo da derrota do PT no estado do PT!

Sair da zona de conforto, procurar seu queijo em outros locais do labirinto é o desafio do PT no Pará hoje, assim como Haw que não ficou parado, cometendo o mesmo erro como Hew, que saiu no labirinto, procurando em camnhos ainda não trilhados, tentando, errando e acertando finalmente, enquanto Hew ficou no mesmo local, onde morreu com fome, sozinho e infeliz.

Para o PT no Pará começar a se reencontrar precisa superar o medo de mudar, precisa sair de sua zona de conforto, não precisamos de atalho para o poder no Estado, precisamos reconstruir nosso caráter coletivo, olhar de frente os erros do passado que nos levaram a essa sinuca de bico e assim, pensar em um futuro onde possamos nos encontrar a todos, nos movimentos sociais e esse apego desesperado pelo poder, possa ser sanado com a luta social e com a mobilização de nosso povo, construindo consciência e plantando a semente da mudança para uma sociedade mais justa e igualitária!

Ah, na historia os ratinhos chegaram ao novo queijo primeiro, mas eles apenas usaram seus instintos de sobrevivência, se o PT e seus parlamentares usarem seus instintos de sobrevivência eles jamais manterão o acordo do canalha do Jader!



Marcelo da Silva Bastos

Membro do Diretório Estadual do PT Pará, Ativista Social, Blogueiro.



domingo, 26 de março de 2017

A Degeneração do PT e a tola ideia de Lula 2018!



Passado alguns meses do Golpe que tirou Dilma da presidência, a esquerda e o PT continua com um processo esquizofrênico dramático, não consegue se contrapor a reconquista de território por parte da burguesia, sim meus amigos e amigas, ainda existe luta de classes, mas o tolos que abandonaram o marxismo não conseguem perceber que eles não podem abandonar a história e nem a realidade.

Todo o processo do Golpe começa quando o PT não consegue mais responder pela ansiedade permanente de lucros de classes abastardas e com isso gera um descontentamento nos setores médios, afinal não foram os banqueiros e nem o capital agropastoril, ou mesmo as grandes indústrias de base que foram a vanguarda do golpe.

Em todo caso esse debate ainda será longo, principalmente se consideramos o alinhamento desses setores ao capital internacional (estranho debate), visto que esses setores estão caminhando para um isolamento no cenário internacional, pois a mediocridade e o messianismo fascistas não permitem esses setores acompanhar o progressivo processo de desenvolvimento das relações capitalistas globais, onde a mais valia, pouco a pouco é substituída pela exploração esclarecida, conceito que mais tarde poderemos trabalhar. 

O que cabe aqui destacar é que esse setor ligado ao PMDB e ao presidente usurpador Temer estão em completa crise, e tende a se complicar ainda mais, pois os setores mais a direita se utilizam da lava jato para cerca esses dirigentes e os tornarem criminosos e cassa-los, como tem feito com o PT, obviamente que guardadas as devidas proporções.

O PT será cassado até o fim, todos os cenários futuros colocam o PT de joelhos para esses setores burgueses reacionários, e a falência e a falta de combatividade do PT têm inicialmente dois fatores que aqui serão analisados.

A Degeneração política do PT foi e ainda é o grande suporte para que os setores fascistas assumam o controle e o destino dos rumos políticos e com eles a agenda da luta política, que dia após dia o PT negligencia de forma criminosa, até o senhor Rui Costa Pimenta do PCO, consegue defender o PT melhor que o PT.

Esse processo de degeneração e complexo e não começou agora, aliais é algo que é estruturante do pensamento das esquerdas latino-americanas, que ainda é resquício do velho e nojento stalinismo, mas é melhor explicar, com a formação dos estados operários, a partir da revolução de 1917 na Rússia, e com a derrota da oposição de esquerda no comando do PCUS, depois da morte de Lenin, começou a se desenvolver uma nossa classe social, produto de dois movimentos distintos, mas complementares, a burocracia estatal ou burocracia stalinista. 

A partir da conquista do Estado e de sua passagem de estado burguês para operário, foi necessário cooptar agendes do estado ulterior e assim dar o mínimo de prosseguimento no processo de serviços e produtos estatais para a manutenção de suas ações diárias. Obviamente que esses agentes foram transformados em dirigentes do novo estado pela sua dita capacidade “técnica”, vale lembrar que a Rússia estava em guerra, em duas frentes, uma no exterior e outra interna, principalmente contras os Kulacks e os Cossacos Brancos.

O Estado em completo processo de crise, em plena guerra mundial, invernos com temperaturas abaixo dos 40º negativos, essa realidade impelia os dirigentes da revolução a tomarem medidas extremadas para que se pudesse superar a migração de um estado para o outro, o problema é que na medida em que esse processo se acelerava esses novos setores acabaram por ganhar espaços também no partido e com isso galgaram espaços maiores no próprio estado operário.

Até a vitória de Stalin esse processo não cessou, e quando assumiu o controle esse grupo passou a dirigir o Estado Operário abandonando todas as matrizes revolucionárias e dando inicio a caça aos jovens comunistas que dirigiram a revolução de outubro, culminando com o assassínio de Trotsky no México.

Obviamente que a nova classe de burocratas construiu todo um novo aparato ideológico que permitiria sobreviver e assim desenvolver sua gana de poder, como parasitas eles construíram diferentes mecanismo de acumulo individual de poder, seja em altos cargos no governo ou no partido, seja eles aplicando a teoria de Socialismo em um só país!

A partir dessas compreensões o Stalinismo começou a propagandear pelo mundo seu ideário, e com isso, e com todo o prestigio da Revolução de 1917, eles começaram a construir partidos comunistas no mundo, como o PCdoB no Brasil, que hoje de maneira envergonhada não se assume mais stalinista!

O problema é que esses setores não tinham um estado operário para se alimentar, e a URSS não poderia em plena guerra fria construir um linha de financiamento de revoluções pelo mundo, por dois motivo, a manutenção do bloco socialista e do Pacto de Varsóvia e o outro era por que a revolução não era algo que interessava a Moscou, muitas revoluções foram sufocadas pela própria orientação do próprio PCUS.

Então esses setores mobilizados começaram a praticar a parasitismo sindical, e as organizações populares, como o PCdoB faz até hoje, como por exemplo, a UNE. A distinta entre a ética burguesa e a nossa difere também na análise desse processo a critica não é simplesmente pela adoção desse método, pois ele é na verdade resultado de um processo histórico e complexo, que via de fato culminou com a própria extinção dos Estados Operários, mas nos países onde não havia ou nunca existiram os estados operários, esses canalhas, construíram verdadeiras gangues para a manutenção de sua parcela de poder.

No Brasil isso fica mais acentuado com a vitória dos setores fascistas pós 1964, e com o refluxo e com a clandestinidade esse processo foi por muito tempo não perceptível, e com a democratização esses setores migraram de outras células para o PT, mantendo seu DNA stalinista intacto, e com a retomada das entidades sindicais, estudantis e populares esses setores começaram novamente a serem burocratas parasitários dos aparatos populares e sindicais.

Contudo, a medida que o PT assume cada vez mais papeis no estado democrático, ganhando espaços em parlamentos e no poder executivo, esses parasitas começam a migrar para o controle político do PT, e assim começam a descontruir o PT enquanto partido operário para transforma-lo no que é hoje.

Deve se observar que as práticas políticas e a degeneração do PT são apenas resultados dessa política nefasta do Stalinismo, não é uma questão ética e nem moral da individualidade, mas sim de um transtorno coletivo vivido por esses agentes que sequer sabem o que fazem, pois esse processo é social e econômico.

Para que isso pudesse ocorrer de forma mais seguro, foi necessário desconstruir todo o PT, aprovando novas políticas de alianças, abandonando os movimentos sociais, deixando o Socialismo Petista de lado, mas acima de tudo conspirando com os mesmo setores médios que dirigiram o Golpe, o que nos passado os teóricos stalinistas chamavam de setores progressista da burguesia.

Não resta dúvida que o PT será cassado, se não agora, depois de 2018, e caso o Lula vença novamente, esse processo tende a se agravar, pois ao contrário do PT, esses setores não tem medo de esticar a corda até ela arrebentar.

Por isso é uma tragédia anunciada para toda esquerda apostar apenas em 2018, enquanto isso, a burguesia retoma para si todas as mínimas conquistas sociais do período anterior ao golpe.

Falar que temos que reagir significa recompor o PT e lutar, contra os setores que historicamente dirigem o PT, e não vejo o curto prazo que essa luta política possa ser travada, segundo esses setores parasitários ainda controlam o próprio PT e não percebem que seu modo de vida está francamente ameaçado, e que eles em função de sua covardia (produto de sua formação social) não permitem que eles elaborem saídas políticas inovadoras, e assim permanecer na luta pelo Socialismo.

Por fim, Lula 2018 é a forma em que esses setores imagina que podem continuar sua farra, de cargos e poder, mas eles não percebem que a democracia, tido para eles como universal, nada mais é que apenas um jogo de cartas marcadas que eles não dominam, prova disso é o golpe, apostar em Lula 2018, sem a articulação dos movimentos sociais e de um amplo movimentos de massas organizado e armado para o enfrentamento revolucionário é apenas mais um engodo, que já estamos cansados de repetir.






terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Tragédia no Marajó não abala Diretor Geral da ARCON (PA)

Hoje faz sete dias que o povo de Pontas de Pedras e todo o Marajó estão de luto e triste pela tragédia, já anunciada, que vitimou quatro pessoas e ainda tem oito desaparecidos, mas esses fatos em nada significou para o Diretor Geral da ARCON, o Sr. Bruno Henrique Reis Guedes, que ainda está em sua Lua de Mel, no Paraná, segundo nossas fontes, ou seja, enquanto as famílias do Marajó choram por seus mortos, e outras famílias sequer ainda tem certeza do destino de seus filhos e filhas, como não se tinha uma lista de passageiros, estima-se que ainda são oito desaparecidos, a esperança é que esses corpos ainda possam se encontrados no fundo da baía, conjuntamente com a embarcação naufragada.

Fonte: Facebook

Em resumo, mesmo a ARCON sendo a responsável pela fiscalização das embarcações que fazem rota para o Marajó, o Senhor Bruno não se sensibilizou com o drama do povo do Marajó, sequer a ARCON lançou um nota pública explicado seu papel e afirmando que fará tudo a seu alcance para que esse tipo de tragédia nunca mais possa acontecer, mas o que se percebe é que a ARCON e seu diretor geral simplesmente ainda não acordou de seu contos de fadas.

O Governo do Estado, ontem divulgou “Na próxima quarta-feira (14), um grupo interinstitucional formado por representantes de vários órgãos estaduais e do município de Ponta de Pedras, como Corpo de Bombeiros Militar, Defesa Civil e Secretaria de Estado de Emprego, Trabalho e Renda (Seaster), iniciará, em Ponta de Pedras, uma rede de atendimento às famílias das vítimas do naufrágio ocorrido na tarde do dia 06 de dezembro. A ação foi definida na tarde desta segunda-feira (12), em reunião na sede do Corpo de Bombeiros” (Fonte: http://www.pa.gov.br/)

Mesmo em sua nota o Governo do Pará a ARCON não é citada, o que acontece? Por que o principal órgão de fiscalização das embarcações continua mudo, será que espera seu diretor geral voltar de lua de mel, segundo nossas fontes, ele casou na semana passada e segue no Paraná, voltamos a nos solidarizar com as famílias que ainda não tem os corpos de seus parentes para enterrarem, pois depois de mais de sete dias, dificilmente ainda se achara alguém com vida, e com as quatro mortes já confirmadas, podemos ter um total de 16 mortes, se configurando com umas das maiores tragédias na região nos últimos dez anos.